Consumo de Alimentos e Bebidas em uma breve análise

Descubra informações valiosas sobre a cesta que podem ajudá-lo a explorar novas oportunidades de crescimento
Download do material Entre em contato
brinde com refrigerante
gerente
Cecilia
Alva

Directora de Clientes y New Business Latam

Entre em contato

Os efeitos que a pandemia produziu sobre o consumo na América Latina são bem visíveis para uma cesta em especial: Alimentos e Bebidas. Nosso mais novo relatório 10 slides to make you think about Foods and Beverages destaca como os meses mais difíceis de isolamento social foram sentidos pelo setor e o que pôde ser percebido com o início da retomada da normalidade na região.

O consumo de Alimentos em casa atingiu os níveis mais altos em uma década em meados de 2020, enquanto as Bebidas tiveram um impacto menos positivo, embora também tenham crescido. Em 2021, a desaceleração atinge principalmente Alimentos.

grafico de gastos em alimentos e bebidas

Apesar da reabertura, o consumo de alimentos e bebidas fora de casa ainda não se recuperou para os níveis anteriores à COVID-19. Somado a isso, vemos que a situação econômica mais difícil em 2021 está provocando uma desaceleração da cesta, embora nem todas as categorias de Alimentos e Bebidas tenham perdido destaque.

Refrigerantes carbonatados (CSD) e sucos foram afetados por uma tendência global no que diz respeito aos bens de consumo de massa: o aumento das preocupações com a saúde e a consciência da sustentabilidade. Nós a analisamos e revelamos o país da região que mais se preocupa com o tema.

Para entender como o novo cenário está se configurando na América Latina, incluindo tópicos como premiumization e canais vencedores, a Kantar pode oferecer suporte por meio do conhecimento profundo sobre as mudanças no mercado.

 

 

Entre em contato
Conteúdos Relacionados
A pandemia e a alienação social tornaram as preocupações com a saúde uma prioridade, de modo que os produtos de cuidados pessoais foram beneficiados, enquanto as rotinas de beleza sofreram
O nível de restrição social em cada país foi um fator decisivo para eleger os canais de compra, revolucionando as tendências vistas até 2019